Ata de reunião

Ata de reunião: como fazer de forma efetiva

Toda reunião deve ser claramente registrada para que os envolvidos fiquem alinhados dos propósitos, definições e afazeres, assegurando assim sua efetividade.

A importância da ata de reunião

É comum vermos pessoas se reunindo, gastando horas em discussões de vários assuntos, realizando diversas definições e posteriormente, por falta de uma ata, tudo se desfaz ao vento, como as palavras. Sim, muitas pessoas acreditam que não é preciso anotar pois está tudo na cabeça e será fácil recordar. Pois bem, saiba que a chance de falhar é imensa: os dias se passam, novos assuntos, novas discussões, novas definições e nenhuma memória ou registro para resgate do que ficou acordado. Importante também considerar a ‘oficialização’ de acordos e prazos, comuns em reuniões, para que posteriormente ambas as partes estejam alinhadas.

Enfim, inúmeras razões óbvias afirmam a importância das atas. Caso ser um bom profissional é seu objetivo, independentemente de sua área de atuação, nunca deixe de relatar qualquer reunião e posteriormente alinhar as partes envolvidas.

Como criar uma ata de forma efetiva

Independentemente da reunião, alguns itens são essenciais no cabeçalho de uma ata:

  • data e hora (ou período): itens indispensáveis para a organização
  • local: facilitará a recordação futura
  • pauta: descrição resumida do que se trata a reunião, facilitando sua identificação
  • envolvidos: identificação dos presentes com o nome e quando necessário, organização, cargo, email, telefone e outros dados

É claro que não existe um modelo mágico perfeito para todas as atas. Cada profissional, área ou até mesmo o próprio objetivo da reunião em si pode fazer com que alterações se façam necessárias.

Visando os objetivos principais de uma ata e sua efetividade, utilizo e recomendo a seguinte organização no corpo da ata:

  • objetivos: toda reunião deve ser preparada e possuir objetivos para se tornar efetiva, trabalhe portanto os itens que deseja executar na reunião e ao longo da mesma, utilize-os para manter o foco dos envolvidos em sua execução – este é o único item que deve estar obrigatoriamente preparado antes da reunião;
  • acompanhamento: no decorrer da reunião vários assuntos deverão ser discutidos, apresentações realizadas, arquivos e documentos entregues, é portanto importante que todas essas ações sejam registradas – quando possível, de forma cronológica;
  • definições: muitas reuniões são realizadas com o objetivo de definições, estas também devem estar adequadamente registradas com o intuito de consolidar tais aos envolvidos e, futuramente, servir de memória para resgate de informações;
  • afazeres: ao longo da reunião, algumas atividades ainda a serem executadas serão levantadas, e, visando a facilidade no expediente, recomenda-se que sejam relatadas separadamente e quando possível, identificando o responsável e prazo por sua execução.

Modelo de ata exemplo

Importante ressaltar que as considerações levantadas neste artigo são resultados puramente de experiências empíricas, isto é, vivenciadas ao longo do dia-a-dia de meu trabalho.

Modelo de ata para download

Facilitando o uso das recomendações feitas no artigo, disponibilizo um modelo de ata a ser utilizado em word e abaixo uma exemplificação de uso da mesma.

19 de janeiro de 2016 - Sem Comentários


Como desenvolver sites utilizando o Bootstrap 3

No artigo ‘Desenvolvendo com Bootstrap 3: um framework front-end que vale a pena!‘ fiz uma breve apresentação do framework apontando seus pontos positivos e negativos, explicando o funcionamento do sistema de grids e como se inicia um projeto.

Mas agora chegou a hora de colocar a mão na massa pra valer!

Em 6 etapas, você desenvolverá o seu primeiro site utilizando o Bootstrap.

1. Fase de concepção

Antes de sair desenvolvendo qualquer página, é importante demandar tempo em entender a real necessidade e objetivo do que será criado.

Esta é uma das fases mais importantes do ciclo de vida de um projeto e constantemente negligenciadas pelos desenvolvedores, no anseio de se ter um produto a ser usado em pouco tempo.

Mas pare e pense: nada adianta uma página bem desenvolvida se ela não atende o objetivo de seu idealizador ou a real necessidade do usuário.

Portanto se inspire, pense, rabisque, faça brainstorm’s, peça opiniões, enfim, demande tempo… o quanto necessário, pois valerá a pena, pode confiar. 😉

Homem rascunhando em papel o desenho de um aplicativo

Como exemplo de caso, desenvolveremos um site com o objetivo de divulgar informações pessoais e profissionais de um indivíduo. A fase de concepção portanto se dá em descobrir quais serão esses dados e quais suas importâncias (para já se ter uma idéia da organização e disposição do conteúdo).

Dados a serem disponibilizados: nome, cargo, foto, resumo, telefone, email, localidade, experiências profissionais, habilidades, paixões e hobbies.

2. Defina a estrutura do layout pensando em grids

Com a concepção elaborada, chegou a hora de definir o layout, isto é, a estrutura visual de seu site.

Lembre-se de sempre pensar em grids! O Bootstrap trabalha com até 12 colunas e seu layout deve respeitar esses limites. (O sistema de grids foi explicado no artigo citado no início desta postagem – ver artigo).

Através de desenhos bem simples (chamados de wireframes) feitos à mão ou no próprio computador, você definirá onde e como ficará cada componente de seu site como o menu de navegação, rodapé, conteúdo e o que mais tiver.

Imagem mostrando o layout sobrepondo os grids do bootstrap

No wireframe acima é possível perceber a distribuição do conteúdo respeitando o sistema de grids (colunas de contorno azul), dividido em 12 porções iguais.

3. Preparando o ambiente

Em sua forma mais simples de utilização, preparar um ambiente utilizando Bootstrap é extremamente fácil e rápido.

Acesse a página oficial do framework (http://www.getbootstrap.com/) e faça o download de sua versão compilada.

Seta apontando para o botão de download do Bootstrap

Descompacte o arquivo zip no local desejado e seu ambiente está pronto! Simples, não? =D

4. Criando a estrutura do HTML

Crie o arquivo “index.html” no diretório raíz e insira o código ‘padrão’ da estrutura do Bootstrap disponível abaixo:

<!DOCTYPE html>
<html lang="pt-BR">
	<head>
		<meta charset="utf-8">
		<meta http-equiv="X-UA-Compatible" content="IE=edge">
		<meta name="viewport" content="width=device-width, initial-scale=1">
		<!-- The above 3 meta tags *must* come first in the head; any other head content must come *after* these tags -->
		<title>Bootstrap - Template básico</title>

		<!-- Bootstrap -->
		<link href="css/bootstrap.min.css" rel="stylesheet">

		<!-- HTML5 shim and Respond.js for IE8 support of HTML5 elements and media queries -->
		<!-- WARNING: Respond.js doesn't work if you view the page via file:// -->
		<!--[if lt IE 9]>
		<script src="https://oss.maxcdn.com/html5shiv/3.7.2/html5shiv.min.js"></script>
		<script src="https://oss.maxcdn.com/respond/1.4.2/respond.min.js"></script>
		<![endif]-->
	</head>
	<body>
		<h1>Olá, mundo!</h1>

		<!-- jQuery (necessary for Bootstrap's JavaScript plugins) -->
		<script src="https://ajax.googleapis.com/ajax/libs/jquery/1.11.3/jquery.min.js"></script>
		<!-- Include all compiled plugins (below), or include individual files as needed -->
		<script src="js/bootstrap.min.js"></script>
	</body>
</html>

Estrutura pronta, vamos iniciar a codificação do layout.

5. Codificando a estrutura do layout e grids

Para o exemplo, vamos dividir esta etapa em quatro itens:

5.1. Definindo os componentes principais

Nosso layout possui 3 componentes horizontais:

1. cabeçalho: header;
2. seção principal: section;
3. rodapé: footer.

Divisões estruturais da página em divs horizontais

O código a ser inserido dentro do <body></body> de nosso arquivo “index.html” para realizar esta separação é bastante simples:

<header>
	<nav>HEADER > NAV</nav>
</header>

<section>
	<aside>SECTION > ASIDE</aside>
	<article>SECTION > ARTICLE</article>
</section>

<footer>FOOTER</footer>

Com as estruturas horizontais prontas, partimos para codificação de cada componente e suas divisões em grids, ou seja, as divisões em colunas do layout.

5.2. Codificando o cabeçalho (header) com a barra de navegação

O Bootstrap já possui uma barra de navegação (ou navbar) como um componente pronto para uso (e isso significa que você não precisará codificar uma linha sequer para isso). 😉

Basta entrar na documentação disponível no site oficial http://www.getbootstrap.com e procurar pela navbar na página de componentes.

Copie e cole o código da barra de navegação dentro de sua header.

Perceba que a documentação disponibiliza algumas customizações para cada componente, um exemplo é a possibilidade de tornar a barra de navegação fixa ao topo ou utilizá-la com suas cores invertidas, como é o nosso caso.

Dois pontos importantes a serem observados:

1. Para que os elementos fiquem centralizados na página, basta utilizar a classe “container” nos elementos superiores de cada seção.

2. Quando utiliza-se a barra de navegação fixa no topo, é necessário adicionar um espaçamento (margin-top) ao elemento inferior para evitar que a mesma sobreponha a navbar.

O código para nosso exemplo ficará assim:

<header><!-- Cabeçalho -->
	<nav class="navbar navbar-inverse navbar-fixed-top">
		<div class="container">
			<!-- Brand and toggle get grouped for better mobile display -->
			<div class="navbar-header">
				<button type="button" class="navbar-toggle collapsed" data-toggle="collapse" data-target="#bs-example-navbar-collapse-1" aria-expanded="false">
					<span class="sr-only">Toggle navigation</span>
					<span class="icon-bar"></span>
					<span class="icon-bar"></span>
					<span class="icon-bar"></span>
			  	</button>
			  	<a class="navbar-brand" href="#">nome do site</a>
			</div>

			<!-- Collect the nav links, forms, and other content for toggling -->
			<div class="collapse navbar-collapse" id="bs-example-navbar-collapse-1">
				<ul class="nav navbar-nav navbar-right">
					<li><a href="#">Link 1</a></li>
					<li><a href="#">Link 2</a></li>
					<li><a href="#">Link 3</a></li>
					<li><a href="#">Link 4</a></li>
				</ul>
			</div><!-- /.navbar-collapse -->
		</div><!-- /.container -->
	</nav>
</header><!-- Cabeçalho-fim -->

5.3. Codificando o componente central (section) e seus grids

Chegou o momento de trabalhar efetivamente com os grids (visto que não precisamos dele no cabeçalho, uma vez que utilizamos o componente pronto).

Conforme o desenho do layout, o componente central, definido na estrutura do HTML como section, deverá receber duas colunas:

1. aside (elemento à esquerda): onde virão os detalhes do profissional como a foto, nome, e-mail, telefone, etc;

2. article (elemento à direita): elemento principal, onde virão os textos e descrições mais detalhadas.

Divisão em grids do layout utilizando o bootstrap

Lembrando as regras do sistema de grids: as colunas devem estar inseridas na <div class=”row”></div> e a soma das mesmas não podem ultrapassar 12.

Para o exemplo, utilizaremos a seguinte proporção: ‘md-3’ para o elemento aside e ‘md-9’ para o article (somando 12 no total, preenchendo assim a largura da página).

Obs: foi adicionado o margin-top à section, evitando que a mesma sobreponha a barra de navegação.

O código de nossa section portanto ficará assim:

<section class="container" style="margin-top:100px;">
	<aside class="col-md-3">
		aside
	</aside>
	<article class="col-md-9">
		article
	</article>
</section>

5.4. Codificando o rodapé (footer)

Nosso rodapé (footer) seguirá a mesma lógica do elemento anterior (section), porém as proporções serão invertidas. Utilizaremos ‘md-9’ para a coluna da data de última atualização e ‘md-3’ para a coluna dos créditos.

Tendo o seguinte código:

<footer class="container">
	<hr>
	<div class="row">
		<div class="col-xs-9">Última atualização</div>
		<div class="col-xs-3 text-right">Créditos</div>
	</div>
</footer>

5.5. Código completo

O resultado é o seguinte código:

<!DOCTYPE html>
<html lang="pt-BR">
	<head>
		<meta charset="utf-8">
		<meta http-equiv="X-UA-Compatible" content="IE=edge">
		<meta name="viewport" content="width=device-width, initial-scale=1">
		<!-- The above 3 meta tags *must* come first in the head; any other head content must come *after* these tags -->
		<title>Bootstrap - Template básico</title>

		<!-- Bootstrap -->
		<link href="css/bootstrap.min.css" rel="stylesheet">

		<!-- HTML5 shim and Respond.js for IE8 support of HTML5 elements and media queries -->
		<!-- WARNING: Respond.js doesn't work if you view the page via file:// -->
		<!--[if lt IE 9]>
		<script src="https://oss.maxcdn.com/html5shiv/3.7.2/html5shiv.min.js"></script>
		<script src="https://oss.maxcdn.com/respond/1.4.2/respond.min.js"></script>
		<![endif]-->
	</head>
	<body>

		<header><!-- Cabeçalho -->
			<nav class="navbar navbar-inverse navbar-fixed-top">
				<div class="container">
					<!-- Brand and toggle get grouped for better mobile display -->
					<div class="navbar-header">
						<button type="button" class="navbar-toggle collapsed" data-toggle="collapse" data-target="#bs-example-navbar-collapse-1" aria-expanded="false">
							<span class="sr-only">Toggle navigation</span>
							<span class="icon-bar"></span>
							<span class="icon-bar"></span>
							<span class="icon-bar"></span>
					  	</button>
					  	<a class="navbar-brand" href="#">nome do site</a>
					</div>

					<!-- Collect the nav links, forms, and other content for toggling -->
					<div class="collapse navbar-collapse" id="bs-example-navbar-collapse-1">
						<ul class="nav navbar-nav navbar-right">
							<li><a href="#">Link 1</a></li>
							<li><a href="#">Link 2</a></li>
							<li><a href="#">Link 3</a></li>
							<li><a href="#">Link 4</a></li>
						</ul>
					</div><!-- /.navbar-collapse -->
				</div><!-- /.container -->
			</nav>
		</header><!-- Cabeçalho-fim -->

		<section class="container" style="margin-top:100px;">
			<aside class="col-md-3">
				aside
			</aside>
			<article class="col-md-9">
				article
			</article>
		</section>

		<footer class="container">
			<hr>
			<div class="row">
				<div class="col-xs-9">Última atualização</div>
				<div class="col-xs-3 text-right">Créditos</div>
			</div>
		</footer>

		<!-- jQuery (necessary for Bootstrap's JavaScript plugins) -->
		<script src="https://ajax.googleapis.com/ajax/libs/jquery/1.11.3/jquery.min.js"></script>
		<!-- Include all compiled plugins (below), or include individual files as needed -->
		<script src="js/bootstrap.min.js"></script>
	</body>
</html>

6. Insira o conteúdo e publique!

Layout codificado, agora basta inserir os conteúdos e publicar.

Resultado final:

Layout final desenvolvido em bootstrap

Ver demo Baixar projeto Repositório no GitHub

O mais legal: seu site está funcional e responsivo para diversos dispositivos com resoluções diferentes, seja smartphones, tablets, notebooks ou desktops.

27 de julho de 2015 - 2 Comentários


Organize suas anotações e mantenha a mente equilibrada com o Evernote

Manter-se organizado é um dos hábitos mais saudáveis para a vida pessoal e profissional. Os benefícios são inúmeros e o resultado imediato: manter a mente equilibrada é sinônimo de maior produtividade.

Uma das formas eficazes de se manter a mente tranquila é organizar toda a ‘tralha’ de informação – que habita desordenadamente sua cabeça – em ambientes confiáveis e seguros, a qual podemos chamar de repositórios.

Quando se tira todo esse peso da cabeça e o coloca em um local de fácil acesso, você libera sua mente para descansar ou até mesmo pensar em novos planos e projetos.

Representação de uma mente cheia de tralhas e outra vazia, com as tralhas depositadas em um repositório

No início, para guardar essas ‘tralhas de informações’, utilizava o próprio ‘Editor de Textos’ do Mac ou ‘Bloco de Notas’ do Windows por sua praticidade – abrir um desses aplicativos não leva um segundo – e facilidade de uso – formatação simples e direta, salvos em arquivos minúsculos de poucos kilobytes.

Com o tempo, porém, você percebe a dificuldade em manter esses arquivos organizados em diferentes pastas do computador e o mais penoso, que inviabilizou o uso no meu caso, realizar pesquisas de conteúdos em meio a tantos arquivos.

Como exemplo, imagine que para cada nota de reunião você crie um arquivo txt nomeado pela data e pauta principal. Dentro dele, você liste os participantes e todas as demais informações. Caso você precise em determinado momento buscar pelas reuniões que o profissional ‘X’ participou, será necessário abrir todos os arquivos e então realizar a pesquisa pelo termo um a um. Trabalhoso, não?

Pois então comecei a busca pelo aplicativo ideal que pudesse me auxiliar no arquivamento e organização de todas essas tralhas. Eis que entra em cena o Evernote.

Screenshot do Evernote mostrando várias anotações

À primeira vista, um aplicativo amigável, que une a praticidade em ser leve, a facilidade de uso por sua formatação simples e o principal – atendendo à demanda – a funcionalidade de manter em um único repositório todas as anotações, de forma organizada e de fácil acesso. Bingo!

Atualmente mantenho todas as minhas notas pessoais e profissionais, sistematicamente organizadas no Evernote, disponíveis a todo momento e em qualquer dispositivo, mantendo a mente equilibrada e livre para descansar ou maquinar novos desafios!

Prometo publicar em breve um artigo que descrevo como organizo minhas notas pessoais e profissionais utilizando o Evernote.

22 de maio de 2015 - Sem Comentários